terça-feira, 7 de junho de 2016

7 - Visitas Eucarísticas: a fonte da vida, a árvore da vida



Vere languores nostros ipse tulit et dolores nostros ipse portavit et nos putavimus eum quasi leprosum et percussum a Deo et humiliatum ipse autem vulneratus est propter iniquitates nostras adtritus est propter scelera nostra disciplina pacis nostrae super eum et livore eius sanati sumus (Is 53, 4-5). 
 

Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas chagas fomos sarados (Is 53, 4-5).
 

Primeiro Prelúdio. Foi o celeste médico quem tomou sobre si as nossas enfermidades, é o caçador de almas, é o capitão que quer conduzir-nos ao combate.
Segundo Prelúdio. Senhor, curai-me, ganhai a minha vontade, guiai-me.

I - Quem vem? É o celeste médico que tomou sobre si as nossas enfermidades, para nos curar. – O profeta Isaías descreve longamente esta substituição (c. 53). Nós é que estamos moralmente doentes. Afastámo-nos como ovelhas errantes, desviámo-nos da via do Senhor. Éramos como leprosos pelos nossos pecados, merecíamos ser abandonados ao sofrimento e à morte; mas o celeste médico tomou tudo sobre si. Ergue-se diante do Senhor como um arbusto ressequido, está coberto de chagas e cheio de desprezos. Já não tem beleza. Vai para a morte como um cordeiro que se deixa levar. É que ele tomou sobre si todas as nossas responsabilidades e todos os nossos sofrimentos redentores que nós mesmos deveríamos ter sofrido.
Fez mais do que o bom samaritano, não apenas pensou as nossas feridas, tomou-as sobre si.
Nada se aproxima desta generosidade. O Coração do celeste médico ultrapassa todos os corações pela sua bondade, pelo seu desinteresse.

II - Quem vem? É o caçador de almas. – Sim, o Salvador que parece lá inactivo no tabernáculo é um caçador ardente. Tem para ganhar as nossas almas toda a paixão que têm os caçadores para pegarem na caça, Jeremias (16, 16) apresenta-nos Deus que envia grupos de pescadores e de caçadores contra o seu povo. S. Jerónimo interpreta isto como reportando-se aos nossos tempos de graça. O Salvador fez ele mesmo a caça das almas percorrendo a Galileia e a Judeia. Depois, organizou /628 esta caça e esta pesca com os apóstolos e com os homens apostólicos; mas permanece ele mesmo o chefe desta caça nos tabernáculos. Inspira os homens apostólicos. Derrama nos seus corações o ardor e o zelo pela salvação das almas. Depois lança ele mesmo as suas flechas de amor nos corações dos fiéis que o recebem ou que o visitam. O Coração do bom Mestre é o coração de um caçador ardente e apaixonado que quer a todo o custo tornar-se o senhor dos nossos corações.
As suas flechas são a sua beleza e a sua bondade que tocam os nossos corações e os ferem de amor. David, no salmo 44, descreveu bem esta caça das almas: «Ó rei, diz, vós ultrapassais em graça e em beleza os filhos dos homens. Isto vos torna todo-poderoso sobre os corações. Servi-vos dos vossos atractivos como de flechas para submeter os corações ao vosso império, pela potência da verdade, da doçura e da justiça. As vossas flechas são agudas, elas ferirão no coração aqueles que quereis atingir».
Ó divino caçador, lançai ao meu coração uma destas flechas vitoriosas. Feri-o pelo vosso amor e ganhai-o para sempre.

III - Quem vem? É o celeste capitão, para me armar com a fé, com a justiça e com o amor. – Vou fazer aliança convosco, diz o Senhor em Isaías (55, 3); vou realizar a promessa que fiz a David, dar-vos-ei o Salvador prometido; será o testemunho da verdade, mas será também um chefe, um capitão e um preceptor: ducem ac praeceptorem… Saireis com alegria da escravatura em que estáveis reduzidos e sereis conduzidos na paz.
A quem vem o celeste capitão? A um soldado sem coragem, a um desertor, porque não passo disto. Não desertei já, por diversas vezes, do serviço do divino Rei? Não escapei ao meu capitão? E, no entanto, ele vem sem cólera. Ele quer dar-me o meu lugar e voltar a fazer-me cavaleiro do Rei dos reis.
S. Paulo descreve aos Efésios (c. 6) esta armadura espiritual que devemos revestir. «Revesti-vos, diz, com todas as armas de Deus, porque tendes de combater contra as potências infernais. Que a verdade seja a cintura dos vossos rins e a justiça a vossa couraça. Tende o calçado firme que simboliza o apostolado; levai o escudo da fé e o capacete dos pensamentos celestes. E como almas amantes, vivei na união com Nosso Senhor, no recolhimento, na oração habitual».
É este laço de amor que será a vossa melhor arma.

Resoluções. – A união ao Coração de Jesus será a minha salvação e a minha força. Feri o meu coração com as vossas flechas, ó divino caçador; curai este pobre /630 coração doente, ó celeste médico; armai-me com fé e amor, ó Rei do céu e fazei de mim o cavaleiro fiel, assíduo e dedicado do vosso Coração

Nenhum comentário:

Postar um comentário